17 de jun de 2008

Velvet Revolver - Contraband

Ano: 2004
Gravadora: RCA Records


O que mais chama atenção no Velvet Revolver, infelizmente, ainda é o fato de ser composto por ex-membros do Guns N' Roses. Slash, Duff McKagan e Matt Sorum tomaram uma acertada decisão de formar outra banda. Juntaram-se a eles ainda o guitarrista Dave Kushner(Wasted Youth) e o vocalista Scott Weiland(Stone Temple Pilots). Esse também já saiu da banda, cogitaram o Sebastian Bach(Skid Row) para substituí-lo. Bem, facilitaria bem a comparação dele com o Axl Rose.
O Velvet Revolver, ou Guns N' Roses Reload como pensaram em chamar o grupo, retomaram aquilo que o Guns perdeu já a muitos anos atrás, o feeling. Mas não vamos evitar o assunto Guns aqui, o assunto é Velvet Revolver, mais precisamente o primeiro disco, Contraband.
O disco trás um estilo hard rock, com um bom peso na guitarra e o Slash fazendo ainda suas firulas que o fizeram se tornar esse ídolo dos pré-adolescentes que acabaram de descobrir o rock. Destaque para Do it for Kids, Fall to Pieces, Set me Free e Slither, só essas já valem o disco, mas junto com as outras formam um ótimo disco.
Sucker Train Blues abre o disco. Música com um ótimo peso, boa junção das duas guitarras, bem produzida também. Já seguida por Do it for Kids, essa com o mesmo peso, mas com alguns elementos que aumentam bem o feeling. A entrada "Went too fast I'm out of luck and I don't even give a fuck" já da uma boa idéia do que vem por ali, e não decepciona. Big Machine é uma música mais simples, bem empolgante. Illegal I Song e Spectacle são músicas também com um bom peso e um ótimo feeling, as duas são bem empolgantes também.
Mas aí então tudo se acalma. Fall to Pieces é uma música mais calma, com maior potencial de grande sucesso, tanto que é uma das únicas do Velvet que é possível escutar por aí. Uma boa junção das guitarras, bateria bem marcada, o Scott cantando genialmente e uma letra depressiva, o que é bom de vez em quando.
Headspace já põe o disco de novo na velha animação, mais acentuada por Superhuman. Músicas com bom peso, assim como Set me Free. Essa música chega a ser estranha, mas é uma das melhores do álbum. Refrão simples, boas guitarras, bateria e baixo. As firulas do Slash dão um toque especial.
Mas de novo o disco se acalma. You Got No Right, começa com um violão bem simples, e os outros instrumentos entrando aos poucos, uma velha formula que costuma a dar certo. Mas aí chegamos ao ponto alto do disco: Slither. Essa tem todas as qualidades das outras músicas aqui citadas. Muito bem produzida, uma letra digna do peso da música, um solo genial e magnificamente cantada. Dirty Little Finger, mais uma música bem pesada, o que é indispensável num disco de Hard Rock, mas o disco fecha romanticamente com Loving the Alien. O que não é de todo ruim, já que a música é muito boa também.
Mas calma, na edição inglesa do disco, ainda existe uma faixa a mais ao vivo, Bodies, do Sex Pistols! Bem, dificilmente um cover é melhor que o original, mas nesse caso chega bem perto. Se você prefere hard a punk, com certeza vai preferir essa à original.
Enfim, um bom disco de Hard, comercial na dose exata, sem esquecer do feeling. Deviam ensinar o Metallica a fazer isso, e principalmente o velho grupo Guns N' Roses.



Baixe: Velvet Revolver - Contraband

Nenhum comentário: