24 de jun de 2008

Dread Zeppelin - Un-Led-Ed

Ano: 1990
Gravadora: Capitol


Uma versão Reggae de Led Zeppelin com o cara que recebeu a missão de continuar o legado de Elvis Presley na Terra por ET's. Essa é a lenda de como o vocalista, Tortelvis, teria começado sua carreira.
Como eu já disse aqui, adoro covers, e esse já é interessante por tocar Led Zeppelin com reggae. Já é interessante por ter um cara que é igual ao Elvis (tanto na aparencia quanto na voz quanto no peso) no vocal. Muito mais interessante ainda são os dois ao mesmo tempo, temperados ainda com Rock e blues. Dizem ainda que Robert Plant os adora, afirmando até que a versão de Your Time is Gonna Come é melhor que a original. Já Jimmy Page os odeia. Compreensíveis as duas opiniões.
O disco começa com Black Dog, um dos maiores clássicos do Led Zeppelin. Apesar de a versão trazer um reggae bem calmo, não abandona a guitarra à la Page no refrão. Até Latidos de cachorro tem. O final da música ainda não é nem o rock do Led nem o reggae do Dread, é um blues, e dos bem tocados. Depois, Heartbreaker, que também não abandona a guitarra que tanto marca a versão original da música. Mas um detalhe importante é que a letra é da música Hearbreak Hotel, do Elvis (o verdadeiro). O casamento das músicas em estilo reggae ficou perfeito. Alguns efeitos bem interessantes completam a música. Living Loving Maid segue. Ótima versão, feita num reggae calmo, com outras vozes que completam bem.
Então, Your Time Is Gonna Come, a tal versão que Plant diz ser melhor que a original. Apesar de ela ser deveras boa, não chega ao extremo que Plant alegou. Uma ótima batida de reggae, um órgão bem presente, vozes com efeitos.
Bring It On Home não é uma música do Led Zeppelin, mas eles gravaram, e ganharam uma versão do Dread Zeppelin. Um belo misto de reggae com blues - a gaita dá um efeito bem especial na música.
Ninguém discorda que Whole Lotta Love é um dos maiores clássicos do Led. Até o inesquecível riff inicial da música ganhou sua versão reggae. A guitarra e a percussão são impecáveis, e o vocal de Elvis da um toque especial também.
Se me perguntassem quais músicas do Led ganhariam uma boa versão em qualquer outro estilo, Black Mountain Side seria uma das minhas últimas opções, mas ganhou. Eles não dispensaram o violão da original, mas deram sua marca. Infelizmente, não é o Tortelvis que fala na música. Tirando isso, ótimo. I Can't Quit you Baby ficou ótima na voz de Tortelvis, eu até diria que ficou melhor que Your Time Is Gonna Come. Mas depois, o que parecia impossível acontece - Immigrant Song. Sim, Tortelvis faz os gritos do começo da música, e até que não passa vergonha. Claro, entre ele e Plant há alguns anos-luz de distância, mas dentro do possível ele faz o melhor. Moby Dick fecha o disco, de forma maravilhosa. A música é toda falada, mas o riff está lá, e está ótimo.
De uma forma geral, Dread Zeppelin faz um ótimo trabalho. Seria melhor se não tivessem exagerado tanto nos efeitos, mas ouvir Elvis cantando Led Zeppelin, e ainda numa versão reggae, é uma coisa que eu aposto que ninguém mais no mundo imaginou. Vale a pena.



Baixe: Dread Zeppelin - Un-Led-Ed

Nenhum comentário: